quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Fuçar ou não Fuçar, eis a questão!

 
Bom, quem nunca deu uma fuçadinha no celular, e-mail ou facebook, que atire a primeira pedra! Também quem pode nos culpar? Ele está lá, dormindo e roncando feito um porco, com o celular ligadinho em cima do móvel... Tá pedindo por uma fuçadinha ne? Pedindo não, implorando!

Em nossa defesa, nós só ficamos tentadas a levantar em slow motion, e ir devagarinho até o celular, quando o tal do namorado já aprontou alguma no começo da relação (não precisa ser necessariamente traição, mentira e papo furado tb contam). Aí fica aquela sombra pairando, a dúvida cruel, Fuço ou não Fuço? Ai o coração começa a bater mais forte, e a adrenalina vai à milhão. A gente fica se sentindo uma super espiã prestes a descobrir uma verdade universal! Aí quando você fuça, fuça e fuça (sugiro que vá direto às mensagens, depois agenda, e não se esqueça do calendário e das notas- paranóia nivel 10) e das duas uma, ou você pega o safado no pulo, ou da com a cara no muro (rimou).

Se a gente não acha nada de fato grave, gravíssimo, aí a euforia e a adrenalina logo caem para -20, e a culpa fala mais alto. "Ai eu não deveria ter feito isso. Desconfiado sem razão"... Ai você fica encucada, "será que devo contar que andei fuçando?" (sugiro que não, fez a cagada, devolve o celular quietinha e finge que nada aconteceu- a e não repita a dose).

AGORA quando a gente encontra coisa...Xiiiiiiiiiiiiiii o pau vai comer (ou nunca mais vai comer né...- piadinha ambígua digna de jagunço). A verdade é que nossa reação depende muito da gravidade dos fatos. Por exemplo, se foi algo q ele nao te contou e você descobriu, que não envolva traição, nem a cretina safada que treina na mesma academia que a dele (ou qualquer vagabunda siliconada gostosa que ele conheça), você vai gritar xingar etc etc eeeeeeeeeee? em menos de um dia ja está tudo bem.

A famosa fase "Nós conversamos e ele não vai fazer mais". Aí na proxima oportunidade de fuçar o que acontece ? O celular esta com senha. SALCI FUFU.
O segredo meninas, veja bem que essa vale a pena anotar, é não fazer NADA. Nem fazer a cara de nervosa de que está brava com algo e não quer contar para ele, ai ele fica perguntando o que foi e você só fica emburrada...(aquele draminha de chantagem emocional muito utilizado para obter atenção). Como diz minha mãe "SENTA, CALA A BOCA E OBSERVA". Começa a observar mais e falar menos. Seja esperta. Quem sabe você não começa a reparar em certas coisas que antes passavam batidas? Observa e ANALISA se é isso mesmo que você quer para sua vida. Esse é o ponto chave. PARA e pensa se é assim que deseja viver, se ele é o homem que quer para sua vida, ou se você quer muito que seja ele. Tem uma diferença brutal entre o cara SER O HOMEM DA SUA VIDA, e você QUERER QUE ELE SEJA. Pensa bem em qual categoria ele se encontra.

O que deve ser levado em consideração na realidade não é nem a fuçada em si, mas o ato que impulsiona você a pegar algo que não é seu, sem a permissão do dono, por pura insegurança e desconfiança. Agora a pergunta do dia, se ele tem a confiança para entrar rm vc (essa foi phynna), porque diabos você vai fuçar nas coisas dele? Ou ao contrário, se você não confia nele, pq para outras coisas (entrar em vc) você confia? Ou a pessoa é digna de confiança, ou não é. Melhor ajustar os ponteiros.

Aí vem o outro lado do psicológico “Eu não fuço porque quem procura acha!”. Ai te pergunto minha filha, E não é bom achar? Ou você prefere se enganar ate quando?
Maaaaasss aí que está...(em homenagem a minha maior fã Fefa- PAUSA DRAMÁTICA), o que você vai fazer se você encontrar o que procura?

Só quebrar o pau, chorar, gritar espernear e não ter a força necessária para se afastar, não vai adiantar nada. Só vai piorar a sua situação. E um ciclo vicioso se estabelece:

Ele caga no pau > você descobre (afinal mentira tem perna curta) > ele da uma desculpinha safada (muitas vezes nem da desculpinha ta cagando e andando) > você perdoa e se convence de que ele não fará mais = RELACIONAMENTO SEM VERGONHA NA CARA, SEM RESPEITO (chega uma hora que sentimos vergonha de nós mesmas) e COM CHIFRE NA TESTA

Mulher é muito besta. Se o cara pisa na bola e pede perdão se faz de santo, PRONTO! "Perdoar é lindo, divino e puro". Ok querida parabéns você vai para o céu, a catequese valeu alguma coisa, PORÉM, contanto que não custe sua sanidade mental e paz emocional. Se optou por acreditar que ele não lhe magoará mais, OK, perdoe E ESQUEÇA (aí que está o babado, quem disse que dá?- assunto para outro post). 

Mulherada é muito simples. Tão simples que até dói. Se o cara fez merda, é tchau! Não se transforme em uma maluca metida a espiã Carmem Sandiego. Ninguém merece que você mude a mulher maravilhosa que é.  Quando a gente menos espera estamos lunáticas, controladoras, briguentas, e no fundo, sabemos muito bem quando eles aprontam. Se vai fuçar, ja tenha em mente o que quer para você e qual decisão vai tomar. Basta querer enxergar vai!!!

sábado, 29 de setembro de 2012

É possível ser feliz sozinha!

Por onde começo???

ME PERDOEEEEEEEEEEEEEEEEEMMM!!! Sei que não posto nada aqui há "milianos" e provavelmente perdi "a mão"! Mas venho com uma excelente novidade!! É possível ser feliz sozinha! (momento em que a maioria das mulheres levantam uma sobrancelha e pensam "QUE? agora ela enlouqueceu").

Sei que parece meio estranho, pois nós mulheres estamos tão acostumadas a devotar nossos pensamentos em torno de situações ou pessoas (resumindo homens), que essa ideia (preciso me lembrar que agora é sem acento) de ser feliz sozinha parece realmente muito distante. Mas eu confirmo: SIM, É POSSÍVEL.


 
(pausa para se recuperar do choque)

Claro que tem todo um processo psicológico de amadurecimento e desprendimento envolvido, não é do dia para a noite que isso acontece, PORÉM, acontece!

Não sei se há uma receita para esse processo ocorrer, provavelmente não. Mas posso dividir como foi comigo. Bom, primeiro tomei a decisão de cortar da minha vida o que me fazia mal, (o safado cretino). Ai respirei fundo e tomei coragem para começar pequenas ações que resultariam no meu desejo de me afastar (terminar, cortar relações incluindo contatos diários ou esporádicos como sms, emails, msn e afins). O mais difícil é o apego sentimental. Parece que entramos em um ritmo a dois em que a posse domina, no mais puro pensamento "ele é meu e não quero abrir mão, mesmo que seja uma bosta", nosso inconsciente nos segura (estilo o my precious do senhor dos anéis). Porém com muita  determinação é possível ir esquecendo e voltando a viver com gosto. Na verdade quando temos o "Click" que não queremos mais sofrer, tudo fica claro, e de repente você só precisa tomar fôlego e dar o primeiro passo (preferencialmente na direção oposta do infeliz). Aí quando finalmente aquela fase de dúvidas, angústias e recaídas (atire a primeira pedra quem nunca teve uma) passa, ao olhar para trás percebemos que o que antes parecia um obstáculo muito grande para ser transposto, hoje parece um grão de areia. Chega a ser ridículo pois dá vontade de rir!! Chego a pensar: "e eu chorava por isso?".

Tirando todo o drama que fazemos, no meu caso dois fatores foram primordiais e serviram de base para que eu chegasse ao momento em que estou: "leituras obrigatórias" e uma nova atividade.

Leituras obrigatórias para todas as mulheres em recuperação (calma, parece frase do MADA mas não é rsrs)-  recuperação de si mesma.

Dois livros que ampliaram minha forma de enxergar um relacionamento:

Por que os homens amam as mulheres poderosas?

A autora simplesmente mostra que homens gostam de mulheres que gostam de si mesmas e não aceitam serem feitas de capacho, e são felizes sozinhas. Recomendo mil vezes... Quando a gente começa a ler pensa "Puta que pariu, agora ta explicado! Eu só fazia merda!" (continuo com meu vocabulário de fazer a Dercy revirar no caixão).
















Comporte-se como uma dama, pense como um homem.
 Esse é escrito por um comediante americano, que é bem realista e apresenta a mentalidade do homem como ela é. Vale a pena seguir algumas dicas - como a do prazo de carência para a cerejinha (sexo)...As vezes durante a leitura fico pensando "esse cara se acha o tal", mas dá para filtrar bastante coisa...



E uma nova atividade pode ser algo que você sempre quis fazer mas por inúmeras razões nunca fez. Pode ser uma arte marcial que você sempre tenha tido curiosidade em aprender, no meu caso o jiu jitsu me salvou (quando terminei com o traste mal conseguia dormir, e com o esforço do treino, chegava exausta e desmaiava na cama). Claro que para uma escolha tão masculina, tive que aprender a controlar minha aversão a suor alheio excessivo (acostuma juro), e a dizer adeus à unhas compridas e bem pintadas (o atrito da pegada acaba com o esmalte - virou piada no treino mas fazer o que, continuo a ser mulher e feminina né?), enfim, adoro e fiquei "viciada". Treino quase todos os dias da semana e quando não vou, a consciência reclama (tirando que sempre tem um colírio). Se você não é uma Fiona como eu, sugiro um curso de pintura, desenho, teatro, cinema etc (o importante é você finalmente devotar um tempo a si mesma e a algo que lhe traga prazer). Se ocupar é 40% de um resultado positivo. Quando a gente vê, ja conhecemos novas pessoas, histórias,experiências e fazemos novas amizades...

De repente, quando menos esperamos voltamos a ser quem éramos (ou mudamos e nos tornamos exatamente o tipo de mulher que sempre quisemos ser)...

Hoje eu digo, é uma delícia ser solteira. E não digo isso no estilo valesca popozuda de ser "Agora eu to solteira e ninguém vai me segurar!", digo com tranquilidade e paz (até pq não sou baladeira nem nota de um real para passar de mão em mão).

É uma delicia passar uma tarde de sábado com a família, ou lendo e ouvindo música (estou apaixonada pela Etta James não me canso nunca). Não penso mais com angústia em quando vou encontrar alguém, estou muito ocupada vivendo minha rotina, treinando, trabalhando e planejando meu futuro... As vezes saio para dançar com as amigas, vou ao cinema, vou a encontros (pq ninguém é de ferro), e está tudo muito bem. Parece que há uma mudança muito clara em meu comportamento.  Se antes entregava meu coração de bandeja para o primeiro que se mostrasse interessado, hoje as coisas são bem diferentes. Antes eu gritava aos quatro ventos "Quero namorar!", hoje ainda tenho a ideia de querer namorar, mas quero namorar alguém que me faça bem, que venha para agregar, que combine com a ideia de homem que desejo para minha vida, caso contrário "estou muito bem sozinha, obrigada!".

O primeiro passo é saber que o ditado "Antes só do que mal acompanhada" é verdadeiro, o segundo é começar a se colocar no centro de sua vida. Não tem preço fazer uma escolha por si mesma, e se colocar em primeiro lugar. Quando menos esperar lhe garanto, estará tranquila em casa em pleno sábado a noite lendo, apenas por que quer descansar (mesmo tendo outras opções e convites), afinal você além de ter escolha, sua vontade está em PRIMEIRO LUGAR.