quinta-feira, 4 de junho de 2015

"Só sexo"...





Eu sei que é "só sexo"... Ou teoricamente sei... É difícil pensar que seja assim quando deito no seu peito e vc beija minha testa e faz carinho no meu cabelo. Adoro como você me trata, até quando me irrita (mas acho que isso não vou assumir para você), me sinto como se de fato finalmente alguém reconheceu que sou especial. 
Como posso achar que é "só sexo" quando você me faz rir só com aquela cara de bobo e fala que estou muito saidinha? Ou então a forma como me sinto à vontade para falar sobre tudo e expor a minha opinião sincera sem medo de "ganhar ou perder" pontos com você. 
Encontrar a parte boa nessa nossa "brincadeira" é fácil, porque são muitas coisas que eu facilmente classificaria como boas, desde a forma como se preocupa em pegar na minha mão sempre que pode (aquela história da minha amiga te marcou né?), até a vontade e a segurança que você me despertou em fazer coisas que eu nunca tinha feito (e gostar!! 😳 cara de choque forever). 
Me diz uma coisa, é brega eu perguntar se quando é "só sexo", eu posso sentir saudade? Ou eu tenho que te classificar como um vibrador que tive a sorte de achar, e posso "usá-lo"(detesto essa palavra) em parcelas gratuitamente? 
Me ensina a fazer aquilo que você gosta, e também me ensina a controlar meu coração e mente para não pensar em você todos os dias. Será que você sabe o tipo de mulher que eu sou? Será que você imagina o quanto foi fácil me revelar e me testar para você? Se fosse "só sexo" eu não teria sido capaz de me abrir para vc (literalmente) na nossa primeira vez, porque desde o segundo que te encontrei eu sabia que não era mera coincidência, eu senti. Será que você sentiu? Será que eu posso te contar o quanto gosto de estar junto com vc, ou vai me descartar? Ou será que já descartou?