terça-feira, 31 de março de 2009

Espelho, espelho meu, existe mulher mais insegura do que eu ?

Espelho, espelho meu. Existe mulher mais insegura do que eu?




Insegurança, o que será que é esse mal que nos assombra, e como lidar com ele? Bom, sinceramente não sei como explicar, vou recorrer ao pai dos burros: o dicionário!

Definições:

1.Falta de segurança. 2 Qualidade de inseguro.

Subjetivo não? E Desde quando ser inseguro é qualidade? (Se fosse, eu seria tão prendada...brincadeira eu entendi o sentido, foi só para descontrair).

Mas então ta, é a falta de segurança, mas o que é a bendita segurança? Hoje estou entrosada com o dicionário, vamos às definições encontradas: 1. Ato ou efeito de segurar- até que faz sentido ultimamente a única coisa que tenho segurado é o choro! rs


Depois dessa parei por ai...


Interpretando nos relacionamentos, a definição “estar segura”, é você ficar tranqüila como se tivesse a garantia de que nada de ruim fosse ocorrer. Que lindo, até poético, mas até que ponto isso é possível?
Eu te pergunto e já respondo, se existe essa possibilidade ela me é desconhecida!
Agora, o antônimo de segurança já são velhos conhecidos: insegurança, risco, perigo. "Eita nóis". Porque será que somos tão inseguras? Sempre temos que estar perfeitas, cheirosas e belas! Mas parando para pensar, eles nunca pediram isso, na verdade muitas vezes nem repararam que mudei de esmalte ou então que cortei o cabelo. Como diz meu pai, "Você está se arrumando para as outras mulheres ", e não é que ele tem razão? Geralmente mulher repara mais (com aquele olhar de lince, se contorcendo de inveja vendo seu sapato novo, e ainda dá um sorrisinho toda cínica). Não... Estou sendo cruel com os homens, eles reparam sim! Em tudo aquilo que difere do corpo deles (em formato), e que temos também- seios, bunda, coxas... Agora meros detalhes se o esmalte é Renda ou Paris, aa eles nem sonham! Rs
Enfim onde eu queria chegar mesmo? Aaaa, na tal insegurança que aparentemente é uma qualidade e que se revela a grande inimiga da felicidade a dois.
Mulheres, falado sério agora, encanações em detalhes, celulites (para meu consolo toda mulher tem), cabelos arrepiados, modo de sentar com medo de salientar barriguinha, coxa grossa, bundão (falo com propriedade), modo de falar, modo de agir, sempre querer ser uma princesinha, resumindo fugir daquilo que você realmente é apenas para agradar, é perda total de tempo! Acredite no que falo, quando o cara gosta de você, é do jeito que você é!
E não tem beleza no mundo que segure alguém se você não tem conteúdo, seja divertida, role a química, e faça o cara se sentir a vontade. Vai por mim... Eles são mais inseguros do que agente! Então que tal começar a se achar maravilhosa, interessante, atraente e ser mais segura? O que é do homem o bicho não come! Se ele está com você, e age de forma que lhe dá respaldo para investir na relação, vai se preocupar por quê?
É bom se cuidar e sentir-se bonita, mas em primeiro lugar, isso deve ser feito pensando em si. Faça escova, passe maquiagem, se arrume, para você! Quando a gente se sente bem, o mundo nota, consequentemente ele também, e pode até não saber o que mudou, mas ele vai comentar que tem algo “diferente”. Chega de insegurança, curta a vida, sempre estaremos suscetíveis a altos e baixos, portanto temos que ter experiências para poder nos fortalecer e aprender a lidar com as situações. Então sai para lá insegurança!

quarta-feira, 25 de março de 2009

Ele Voltou!

Ele voltou! Calma não estou falando de nenhuma profecia (pelo menos uma que irá afetar a humanidade)... No fundo a gente sabe que ele voltará, mas quando volta, dá aquele frio na barriga...
Estou falando dele, o incomparável, o lindo, o tudo de bom... O cafajeste do seu ex-namorado! Pois é meninas, eles voltam! E a gente fica igual galho de roseira nova ao vento- balança para cá, e para lá... E às vezes- na maioria delas- até quebra... (nossa nessa eu fui criativa).
A verdade é que a maioria das mulheres sofrem de amnésia seletiva... Esquecemos daquilo que nos convém, como por exemplo, aquela pisada de bola catastrófica que ele deu quando vocês estavam juntos... Ou então aquele "bolo" mal explicado.
Por que será que fazemos isso em? Afinal não somos burras pelo amor de Deus! Sabemos que merecemos um companheiro maravilhoso. Só que ficamos lembrando dos “melhores momentos” e esquecemos dos “piores momentos”. Parece que dentro do nosso coração tem um milhão de mulheres pequeninas gritando “Mais uma chance! Mais uma chance!”.
Vamos lá, ele merece novamente fazer parte da sua vida? Coloque em uma balança, momentos bons versus momentos miseráveis (exagerei né?). Ou melhor quando você fala o nome dele, você sente raiva ou “aaaaa agente poderia ter dado certo...” Se for a primeira opção, manda ele ir catar coquinho na ladeira... Se for a segunda, e o coração e razão entrarem em um consenso, aí “vale a pena ver de novo” (estou toda engraçadinha hoje). Mas lembre-se, é como investir em uma ação que já deu prejuízo, sempre tem seu risco (tanto no sentido positivo quanto negativo).

segunda-feira, 23 de março de 2009

Como lidar com a decepção?

Ele me decepcionou? E agora?

Quando está tudo perfeito (ou mais que perfeito) ele pisa na bola, e aí tudo que você estava sentindo fica por um fio. O que fazer? Deixar o fio arrebentar, ou tentar o caminho mais difícil: perdoar. Bom, vamos as argumentações... Errar é humano, e se o sentimento entre você dois for forte e sincero, o fio se fortalece com o maravilhoso dom do perdão. Agora se arrebentar, é porque o que sentia era passageiro.

É duro analisar friamente algo que foi outrora tão quente, mas é a realidade. Eu acreditava que mulher não sentia isso de desejo e atração física sem amor. Enganei-me, existe sim. Felizmente para umas infelizmente para outras. No meu caso infelizmente...

Acredito que o amor é maior do que atrasos e mentiras, e se o sentimento for real vai durar... Perdoe se sentir que existe uma chance para algo maior. Siga em frente (sem olhar para trás) se sentir que essa pessoa não é (ou nunca foi ) para você, e que não há chances de mudança. Não tenha pressa, às vezes ela é realmente a maior inimiga da perfeição. Nesses momentos de confusão, manter a calma é o primeiro passo para que a análise seja efetuada da melhor forma possível.

Será que tudo isso vale a pena? Só quem pode responder essa pergunta sou eu (no seu caso você).

quarta-feira, 11 de março de 2009

E tudo começou assim...



..."Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi." Dedo Duro!

"E disse o SENHOR Deus à mulher: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará."

E eles dominam até hoje... Ou será que não?
Estamos "no controle" ou será que o "no" é proveniente da negação em inglês, e a expressão fica "sem controle"?

Com esse post inicial, deixo essa questão em aberto.
Aqui irei discorrer sobre aquilo que nos persegue e atormenta (pausa dramática) - Relacionamentos amorosos ou pelo menos tentativas de.

Com todo respeito aos homens que me lêem, desculpe, mas não os entendo, portanto, levarei em consideração a perspectiva feminina em meus desabafos e trechos nada imparciais.
Mas calma, eu não os odeio (como poderia?) só irei exteriorizar a maior lenda urbana de todos os tempos, como encontrar o famoso “Principe Encantado”...
Logicamente irei desabafar sobre as patifarias, e pisadas na bola que vocês cometem, afinal nós mulheres temos que rir para não chorar às vezes, e como desgraça pouca é bobagem, vamos rir!