sábado, 8 de agosto de 2009

Alguém tem que ceder? Que seja ELE!

Meninas. Não caiam nessa. Esse papo de Alguém tem que ceder para que o relacionamento de certo é balela! Faz com que agente se engane (pela milésima vez) a ponto de tentarmos ser diferente, deixar a nossa essência de lado para tentar (em vão) satisfazer a do outro. Depois de sofrer, chorar, ser fiel, fazer papel de trouxa, besta e outros adjetivos maravilhosos, eu tenho que mudar e me esforçar para dar certo? Vai para a casa do "C*&%R%", era só o que me faltava!! Por que o motivo de tanta revolta? Meninas, não é que alguém tem que ceder. Os dois devem ceder isso quando o relacionamento é bem mais que um fantasma de uma ilusão, sobre um homem que nunca existiu (é, porque agente fantasia né?).

A verdade é a maior aliada que nós temos, e se você sente que pelo tom de voz dele o proferido "estou com saudade" é uma mentira, para que insistir no erro? Saudade? Saudade nada, some a semana inteira e resolve aparecer só para lhe manter ali, pronta para ele. Eu chamo isso de deixar no pente. O pente a que me refiro não é pente de cabelo e sim pente de arma de fogo a comparação é devido a deixar você "pronta para meter bala" (perdão pelo trocadilho, mas sabemos que é a pura realidade).
Eles pensam que nós somos idiotas, só pode ser. Tudo bem que eu devo confessar, já fiz papel de idiota, ou melhor deixei ele me tratar como tal.

É estranho né? Por mais que a gente saiba que ele não é o cara que vai fazer o juramento na frente do padre, a gente insiste, insiste, insiste seguindo o ditado água mole pedra dura tanto bate até que fura. Fura sim o seu coração, pois chega uma hora que não conseguimos nem mais chorar. Começa a aceitar tudo sem sentir nada. Aí é o momento crucial para darmos um belo pé na bunda do cretino.
Quando aquilo que você acredita que merece está indo por água abaixo e você está aceitando ser tratada como lixo. Para e pensa. Ele vale tudo isso? Ele te faz sentir algo tão forte a ponto de você renunciar a si mesma?

Olha minha querida não sei você, mas no meu caso a resposta é um belo e sonoro NÃO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário