domingo, 16 de agosto de 2009

Mal acostumados ou malAS acostumados?


Curiosa com o título desse post? Ja vai entender...

Geralmente eu venho aqui e exploro situações que ocorreram comigo ou com amigas, todas giram em torno do mau comportamento dos homens. Mas hoje as coisas serão diferentes.

Vou comentar sobre um fato extremamente presente na realidade de nós (mulheres de verdade) a existência de mulheres fáceis (as famosas vad*as, p*ranhas, v*gabundas). Essas desgraçadas estão mal acostumando os homens. É a única resposta que encontrei para justificar a atitude de um homem - fisicamente, pois emocionalmente era um garoto- que me ligou todos os dias durante uma semana (cada ligação 1 hora no mínimo), e no primeiro encontro perguntou qual o motel que eu gostaria de ir. Que gentileza não? Ainda me deu a opção de escolha. - sendo sarcástica para quem não entendeu.
A detalhe, depois que eu deixei claro que não iria rolar nada, no dia seguinte ele “PUF” desapareceu. E eu nem imaginava as habilidades mágicas que ele tinha! rs

Pelo amor de Deus, desde quando sexo virou agradecimento por jantar em um lugar legal? Parece conversa de vovó, mas as coisas estão banalizadas MESMO. Por mais que a química seja excepcional (o que não era o caso) eu sou do tipo que ja sofri tanto, que nunca mais deixarei ninguém me usar e jogar fora. Me recuso ser "uma noite e nada mais". Não sou sobremesa. Também não sou inocente. Todo homem quando sente atração por uma mulher imagina como ela fica de lingerie, nua, em X posições, enfim, até aí é relativamente normal. Tudo bem. Acho muito bom que o cara sinta atração por mim, melhor ainda quando o beijo me deixa sem fôlego (passou longe de ser o caso) e ele mal consegue se controlar com as mãos, mas tudo tem limite.

Acredito que sexo, fazer amor ou seja lá como prefere chamar, é algo íntimo, um passo a mais na relação. É mais do que química, é uma questão de confiança, carinho e principalmente amor. E parabéns para quem encontrou o parceiro e em um dia já conseguiu sentir tudo isso a ponto de ir para a cama com ele. Eu ainda não passei por isso e sinceramente nem desejo passar. Gosto da expectativa, de querer me arrumar para ele, de planejar, de sentir desejo, admiração, respeito e confiança a ponto de querer me entregar de corpo e alma.

Nada contra quem cede a seus desejos ou o do cara que você conheceu e saiu para jantar e em menos de 4 horas estavam nus. Sabe aquele ditado "passarinho que come pedra sabe o c* que tem" e digamos que eu não gosto de comer pedra.
Não gosto de me sentir errada, nem de aceitar fazer as coisas com medo de nunca mais vê-lo. Se o cara não sabe me conquistar, não está a fim de um relacionamento sério, pau no rabo dele!
Melhor agora do que depois.
Então fico na dúvida, ou eles estão MAL acostumados, ou são MALAS acostumados com mulher fácil.

Não é bancar a difícil, é saber da sua importância e valor. Eu aprendi a duras penas que nunca devo fazer nada que vá contra a minha essência. Nada.
E se o cara acha que gastando oitenta reais em um jantar, vai rolar algo a mais, está muito enganado. Podia ter me levado no Mac Donalds ou no Terraço Itália. O resultado da noite seria o mesmo, eu dormindo na minha cama e ele na dele.
De sobremesa? No máximo um sorvetinho, posso até pagar o meu se quiser...rs

Se fosse em outros tempos, o desespero e carência me faria dar uma de Raul Seixas “Tenteee outra veeezz!”. Tentar outra vez p*rra nenhuma. Não rolou? Não insista. Eu sei que é gostoso receber ligações, mensagens no cel. Porém mais gostoso é ter alguém que goste mesmo de você.

Não tenham medo de serem vocês mesmas, se o cara valer realmente a pena e gostar mesmo de você, ele vai adorar saber o tipo de mulher que você é. E se o cara não valer a pena, que se dane! É bom que você fica livre para conhecer um que valha.

Um comentário:

  1. Amei amigaaa... !
    Tenho absoluta certeza que você está servindo de conselheira para muitas leitoras anônimas!

    Preciso dizer mais alguma coisa? Acho que não, né?

    ESCREVA MAISSSSSS !=D

    ResponderExcluir