sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

A dor de uma traição...



Acho que nunca abordei um tema bastante delicado aqui no blog, e decidi dar mais atenção para falar sobre isso.


Tirando todos aqueles adjetivos clichês "chifruda", "corna", com direito a música de fundo "Ser corno ou não seeer!", uma traição do parceiro muda tudo. Um dia criamos sonhos, planejamos, participamos de festas de fim de ano com família, gato, vizinho, periquito; no outro descobrimos que tudo não passou de ilusão. A pessoa que tanto amávamos tornou-se uma estranha com atitudes que você jamais desconfiaria.

Nos sentimos burras, cegas, com medo... Pensamos "quantas vezes ele olhou em meus olhos e mentiu?", "quantas vezes ele pensou em outra pessoa quando estava comigo?".

É uma dor incomparável, principalmente quando se amou tanto que esqueceu de si mesma (erro número 1 entre as mulheres).

Como uma cólica insistente ela vem e dá aquela pontada dolorida... Parece exagero mas conheço mulheres que após uma traição tiveram inúmeros pesadelos e até acordam no meio da noite chorando.

Para piorar tem homem que é covarde, inventa desculpas estrategicamente mirabolantes, o que é pior, porque sofremos a mesma coisa, e a pontada de esperança fica ali, como se fosse um advogado de defesa sempre lembrando de algo bom, alguma possível "prova" que o inocente para tentar contrabalancear os pensamentos ruins. Se esse for o caso o traidor "não fui eu", use sua razão para analisar as justificativas dadas pelo que quer que ele tenha feito, analise.

Veja se de fato ele se contradiz em algum momento ou se é sua insegurança. Dificil é deixar a emoção de lado e tentar ser racional. Leia essa matéria: http://mulher.terra.com.br/interna/0,,OI1750703-EI1377,00.html


É díficil, doloroso, nos faz sofrer. Tenho um amigo que não ve isso como algo tão difícil, para ele é simples. Se houve traição e vc pegou no pulo, a fila anda. Graças a Deus que você descobriu a tempo (seria muito pior casada com 2 filhos e dívidas conjuntas).

Eu sei que é como se tivesse levado uma machadada nas costas, é compreensivo ficarmos desoladas, depressivas, e até querendo dar o troco (como se isso fosse estancar o sangramento que jorra de dentro de você). A gente pensa "chumbo trocado não dói", ou dá um sorriso diabólico quando escuta o refrão de um funk chave de cadeia "segura esse chifre quero ver se vai doer!".


A verdade é que o ser humano é vingativo. E nós mulheres, quanto maior a doação feita para que o relacionamento desse certo, maior a desilusão e a raiva.

Já passei por uma situação assim, e meu primeiro pensamento foi "Filho de uma puta, aqui se faz aqui se paga!", mas depois lembrei instântaneamente da frase que minha mãe me ensinou: Nunca deixe que os erros e maldade dos outros superem o que é correto e a bondade dentro de você. É difícil manter o sangue frio, mas a maior recompensa é você saber que não há necessidade de dar o troco afinal você não é da mesma laia que ele. Você tem caráter. Sabe como é gratificante colocar a cabeça no travesseiro e dormir tranquilamente.


Se você está sofrendo e foi "vítima" de uma traição, não fuja de quem você é. Não faça nada que futuramente vá se arrepender. Pegue o conselho do meu amigo, e tome-o para si. Deixe o que é de ruim para trás, não tente mudar sua essência e simplesmente saia andando. Chore o que tiver que chorar, mas nunca se rebaixe ao mesmo patamar daquele que agiu de forma monstruosa. Não é exagero chamar alguém de monstruoso porque traiu, quem não leva em consideração o seu amor, dedicação, sonhos, planos, seu tempo, sua família, não merece uma só lágrima sua, quanto mais um possível peso na sua consciência caso você resolva virar aquilo que não é.


Sempre me falaram mas eu só fui notar a verdade nessa frase: a maior malandragem é ser honesto. Saber que é uma boa pessoa, digna de amor, carinho, fidelidade e dedicação não tem preço. Sabendo disso, para que chorar? Agradeça a Deus a oportunidade de recomeçar, de se fortalecer (o que não mata fortalece) e bola para frente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário